MARCHAR OU MURCHAR.




Parte da juventude brasileira diz se arrepiar com a palavra “marchar”, quando, na realidade, o significado não é nada mais do que andar, caminhar, deslocar. Ou será que essa juventude paralisada pelas redes sociais não sabe mais o conceito das palavras nem o valor da leitura?

Lamento, mas entendo que essa juventude, principalmente a constituída por estudantes universitários radicais, não sabe nem mesmo porque defende alguns interesses políticos, embora sabendo que esses interesses estão podres, tomados pela sujeira intelectual e causadores da desgraça do país.

Sem generalizar, parte da juventude está perdida, tamanhos os péssimos ensinamentos por parte de professores políticos e não catedráticos. Estão confundindo o ensino com massa de manobra e incutindo na cabeça fraca de algumas centenas de jovens, que os ruins são bons e os bons são ruins. É a mesma coisa da confusão entre “marchar” e “murchar”. Aliás, essa juventude da qual falo, alienada, sem personalidade e sem vontade própria, está mais para murchar do que para marchar, no sentido literal da palavra. Lamentavelmente!

Torna-se inimaginável acreditar que um jovem piche toda a sua escola, cometa atos irresponsáveis contra o patrimônio público e privado, grite palavrões, chute portas, quebre janelas, estoure vidraças e ainda queira se dar bem, como se nada tivesse acontecido. Ora, isso é doente. Não há como não penalizar essas pessoas que agridem sem motivo e ainda acham graça do ilícito praticado. A agressão física é pior ainda, absolutamente inadmissível e sujeita a revide, porquanto paciência tenha limite.

Existem por aí centenas de estudantes, parte dessa juventude alienada, que fazem em dez anos um curso de cinco. E querem que os pais e familiares achem normal uma anormalidade desse porte. Explicações não têm. Gostam de fazer nada e defender político indefensável. Preferem o fastio ao trabalho. Demonstram simpatia pelos horrores praticados por ídolos fracassados. E transformam-se em péssimos exemplos para a sociedade.

Essas pessoas, de mentalidade fraca, marchar não querem, porque fazem relação da palavra com regime militar. Mas, murchar com certeza vão conseguir, porque vão se destruir ou vão ser destruídas pela mesmice de seus mestres do nada que levam a lugar nenhum. E a tristeza fica por conta do negativismo que toma conta da população, que vê seus jovens dando cabeçadas aqui e ali, graças a alguns espertalhões destruidores de famílias e enganadores contumazes.

Marchar, andar, caminhar e se deslocar de encontro a um mundo novo, essa juventude se nega a fazer. Murchar diante das ideias parvas e descabidas de líderes mesquinhos, essa mesma juventude acha vantagem. O que acontece? Lavagem cerebral? Inocência, preguiça ou o que?

Vamos lá, reaja juventude brasileira e faça acontecer, mas longe dessas bestialidades comunistas ensinadas por apreciadores de poder, luxo, carrões, aviões e caviar! Os mesmos populistas que recomendam reação contra os “opressores” são os que correm para o lado do empresário quando quer que alguém sustente suas mordomias e pague sua vida confortável e nababesca.

Marchar ou murchar. O pêndulo está mais para murchar, enquanto as mentes sonolentas insistirem em seguir os exploradores da inocência popular. Marchar é coisa para gente valente, que quer crescer, melhorar, progredir e alcançar um futuro certo e de bases sólidas. Entre marchar e murchar há uma distância grande, apenas não sentida por aqueles que se deixam chantagear.

Acorda juventude brasileira! Estuda, dedica, trabalha, cresce, fortalece, avança, vive e faça acontecer. Chega de viver sob controle dessa máquina odiosa, operada por bandidos. Consulte o passado dessas lideranças mecanizadas, sem conteúdo e sem o que ensinar, nada idôneas e muito menos exemplares. Chega de sustentar essas sanguessugas do voto, que se locupletam com o poder. Chega de cabeça baixa e de submissão.  Chega de dependência moral.

Reaja juventude brasileira! Reaja!!!

Marchar, andar, caminhar e seguir em frente, sim!!!

Murchar, secar, enfraquecer e desanimar, não! E muito menos perante essa cambada política desleal e criminosa. Isso, jamais!!!

Wilson Campos (Advogado/Especialista em Direito Tributário, Trabalhista, Cível e Ambiental).


  

Comentários

  1. Cristóvão B. S. Duque31 de outubro de 2018 16:43

    Marchar, marchar e marchar para o progresso e na defesa da família. Sempre, meu caro /dr. Wilson Campos. Vamos junto, doutor!!!!!"!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas